Temos ideias do que queremos ter no blog, nos menus, nos banners… Mas como organizar esses conteúdos e funcionalidades de forma simples e rápida?
Aqui vão algumas sugestões 🙂

1- FAZ UMA LISTA DAS PÁGINAS

Antes de construir o teu Menu, precisas de pelo menos algumas das páginas que vais incluir no teu site. São alguns exemplos:
Página Inicial (Homepage): A porta da frente do teu site. Deve, logo nos primeiros segundos, dar aos visitantes uma ideia clara do que se trata o site, além de lhes mostrar para onde ir.
Blog e Arquivo do Blog: Como todos aqui sabemos, e muito bem, o blog é uma forma brutal de partilhar conteúdo útil com a tua audiência, ganhar credibilidade com potenciais clientes, e trazer tráfego para o site. O arquivo é local onde vão estar arquivados os artigos que fores publicando. O arquivo é uma forma fácil de encontrar artigos, e podes organizá-los por data, categoria, ou ambos. Certifica-te que adicionas uma barra de pesquisa para que seja fácil encontrar um artigo específico, ou para que haja a possibilidade de pesquisar por palavras-chave.
Sobre: Aqui falas sobre a tua Visão, Missão e Valores, de forma aprofundada. Esta página permite aos visitantes perceber quem tu és e de que se trata o teu negócio. Mais importante, é um local onde os visitantes se podem relacionar contigo, com a tua História, e com o teu Porquê.
Contactos: Queres que potenciais clientes entrem em contacto contigo? Não te esqueças de criar uma página de contactos, onde colocas formas de entrarem em contacto contigo ou um formulário onde te possam enviar uma mensagem.
Termos e Condições, Política de Privacidade, e Política de Cookies: Estas páginas é onde vais colocar uma série de regras com que os teus visitantes têm de concordar para utilizarem o site, submeterem dados pessoais, ou comprarem algum produto/serviço. Aqui informas sobre coisas como, Políticas de Devoluções, Isenções de Responsabilidade, Direitos e Deveres do visitante/cliente, que tipos de cookies são usados no website, como são utilizados e guardados os dados pessoais recolhidos, etc. Age como um contrato legal entre o teu negócio e o visitante/cliente, e é muito importante te certificares que esta página se encontra em conformidade com as leis de proteção de dados, e que se encontra disponível e bem visitel no teu website.
Loja: Esta página é muito importante para quem, não só tem produtos físicos ou difigais para vender, mas também os quer exibir de forma organizada e bem estruturada, para dar boa impressão ao visitante.
FAQS: Estás constantemente a responder às mesmas perguntas, seja por mensagens privadas, ou por email? Começa a reúnir essas perguntas e respostas, e faz um compendium de Perguntas Frequentes para onde podes enviar as pessoas.

2- DESIGNA UMA CHAMADA À ACÇÃO PARA CADA PÁGINA

Não devem haver “becos sem saída” no teu website.
Quando um visitante chega a uma página, não deve ter de tomar uma decisão consciente acerca de qual secção do site deve visitar de seguida. Em vez disso, deves direcionar o visitante através de uma chamada à acção específica e que faça sentido com o que é partilhado naquela página.
Então, que acção queres que o visitante tome em cada página que visita?
Percorre a lista de páginas que fizeste e designa uma chamada à acção particular para cada uma delas. Visualiza o teu site e faz um diagrama do fluxo das pessoas ao percorrer o teu site, seguindo as indicações das chamadas à ação que escolheste.
Por exemplo, se tens uma página de Portefólio, faz sentido que incentives as pessoas a ver os serviços que ofereces. Então colocas uma chamada à acção para a tua página de Serviços. » Se alguém está na tua página de Serviços, é natural que te queiram contactar para contratar um serviço. Então adicionas uma chamada à acção para a página de Contactos. » Alguém está na tua página de Contactos porque quer saber como entrar em contacto contigo. Podes colocar várias opções (não mais do que 3), mas a chamada à acção deve ser a forma de contacto que TU preferes que a pessoa utilize.

3- USA UMA HIERARQUIA VISUAL PARA DIRECIONAR OS LEITORES PARA A INFORMAÇÃO MAIS ÚTIL

Podes não te aperceber mas, quando visitas um site, o teu cérebro organiza os elementos do site por ordem de importância baseado em dicas visuais.
Isto chama-se hierarquia, e os designers usam isto para guiar o olhar do visitante pelo website, e chamar a atenção para o que é mais importante. Isto é importante porque os visitantes gostam de passar com os olhos por cima dos conteúdos, e não lê-los todos atentamente assim que lhe metem os olhos em cima.
Certifica-te que colocas Títulos e Subtítulos nas tuas páginas, até as podes dividir por secções de forma a que chames a atenção para os pontos que consideras mais importantes.
O www.hotjar.com é uma ferramenta muito fixe para teres uma ideia clara deste tipo de comportamento dos visitantes no teu site. O Hotjar diz-te quais as “zonas quentes” de páginas especificas. Ou seja, em que zonas da página é que o utilizador passou com o rato, onde o rato esteve parado mais tempo, onde clicou mais, entre outras coisas. Com esta informação consegues perceber se as tuas dicas visuais e chamadas à acção estão a ter o efeito pretendido.

4- REÚNE IMAGENS E TEXTO

Agora que já sabes o que vai estar em cada página, e qual o foco para cada uma, está na hora de reúnir os designs e textos necessários.
Aqui, o que é importante ter em conta, é a consistência. De uma perspetiva de branding, a consitência vai fazer com que o teu site tenha um aspeto mais profissional e mostra que estás a trabalhar com intenção.
Se tens uma imagem de destaque no topo de todas as páginas do teu website, começas a criar um hábito da parte dos teus visitantes, ao ponto de eles, subconscientemente, já saberem que vão encontrar uma imagem de destaque no topo da próxima página que visitarem, e estão à espera disso.
Quando não é esse formato que encontram do outro lado, há uma quebra dessa consistência e fluidez. Se o teu texto e grafismos forem inconsistentes, pode ser difícil para os teus visitantes navegarem no teu site e encontrar o conteúdo que procuram. Além disso, torna a navegação muito mais cansativa e errática.
Por isso, encontra um estilo especifico para os teus grafismos, escolhe um ou 2 tipos de letra que usas de forma consistente, define uma palette de cores com poucas cores que sejam agradáveis ao olhar, usa fotos de boa qualidade. Escreve com o mesmo tom de voz.

5- OTIMIZA A NAVEGAÇÃO DO TEU SITE

Se os visitantes chegam ao teu site através de uma referência (cartão de visita, recomendação, pesquisa no Google, etc), 50% deles vão utilizar o Menu para se orientarem e navegarem. No caso de chegar ao site através de um artigo do blog, então vão maioritariamente navegar dentro do próprio artigo e clicar nas chamadas à acção que tiveres colocado lá (links internos para artigos relacionados, por exemplo).
Um visitante que chega à tua Página Inicial não deve ter de pensar extensivamente sobre o que visitar. A navegação no site deve ser guiada de forma fluida e natural, sendo essa decisão tomada por ti e levando o visitante de página em página. Por isso, pensa bem nos items que queres colocar no teu Menu. Os nossos olhos navegam, naturalmente, da esquerda para a direita e de cima para baixo, por isso tem isso em conta quando decides a ordem em que colocas os items no Menu.
Cuidado para não tornar o Menu demasiado extenso. Mais do que 6 items no Menu principal pode fornecer demasiadas opções e ser avassalador para os teus visitantes. Se estás a ter dificuldade a decidir que items devem ir no Menu, considera criar subcategorias com menus drop-down, colocar alguns items no menu de rodapé, ou encontrar formas criativas de destacar os items em outros locais do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *